Existe vida sexual após o câncer de mama

Sexo e sexualidade são partes importantes da vida. A diferença entre sexo e sexualidade é que sexo é o conceito de uma atividade – alguma coisa que você faz com seu parceiro/a (ou sozinha). Sexualidade é mais sobre o modo que você se sente como mulher, e está ligada a intimidade ou sua necessidade de carinho, proximidade e toque.

Sentimentos sobre a sexualidade podem afetar nossa vida, nossa auto-imagem e nossos relacionamentos com os outros. Porém, pacientes e médicos muitas vezes não falam sobre os efeitos do tratamento do câncer na vida sexual de uma mulher ou como ela pode resolver os problemas sexuais que esteja tendo. Muitas pessoas se sentem desconfortáveis e expostas ao falar sobre sexo.

O primeiro passo é trazer o assunto à tona. Procure aprender o máximo que puder sobre os efeitos que o tratamento pode ter na sua sexualidade. Converse com a sua equipe médica. Quando você sabe o que esperar, você pode planejar como lidar com tais questões.

 

Como o tratamento do câncer afeta o desejo e a resposta sexual

 

perda-desejoFalta de desejo

Perder o interesse pelo sexo frequentemente acontece durante o tratamento. As preocupações com a sobrevida são tão grandes que o sexo pode não ser prioridade e isso é normal. A falta de desejo pode ser causada por preocupações, depressão, náuseas, dor, fadiga e desequilíbrio hormonal. Muitas mulheres com câncer de mama preocupam-se que o parceiro possa se desinteressar devido as mudanças nos seus corpos. Estes pensamentos também podem afetar o desejo.

 

 

sexo-oralDor

A dor durante a penetração é um problema comum para as mulheres em tratamento e pode ser causada por secura vaginal devido à quimioterapia e ao tratamento hormonal. Para contornar o problema, use um lubrificante a base de água e demore mais tempo nas preliminares. Conversar com o parceiro também é muito importante pois ele também tem medo de machucar você. No começo, pode ser bastante útil desviar a atenção da vagina e redescobrir o sexo oral.

 

samantha-sem-gifMenopausa

A quimioterapia e/ou a terapia hormonal para o tratamento do câncer de mama podem causar menopausa precoce. A terapia hormonal é feita com comprimidos como o Tamoxifeno, que age impedindo que o estrógeno estimule as células da mama; ou com comprimidos como o Exemestano, Anastrozol, ou Letrozol que impedem a produção de estrógeno pelo tecido adiposo da mulher.  Algumas mulheres tem cirurgia de remoção dos ovários como parte do tratamento. Qualquer um desses tratamentos irá causar sintomas de menopausa tais como: fogachos, ondas de calor, amenorréia (interrupção da menstruação) e secura vaginal. Os sintomas são muitas vezes mais intensos que as mudanças que acontecem durante a menopausa natural. Apesar dessas mudanças, uma mulher ainda será capaz de sentir desejo sexual e atingir o orgasmo.

 

orgasmoOrgasmo

Às vezes, a dor durante a relação sexual pode atrapalhar e impedir a mulher de atingir o orgasmo.  No entanto, pode-se tentar diferentes posições ou tipos de toque genital para tentar contornar o problema. Saiba que você ainda será capaz de sentir prazer quando for tocada. Prazer e satisfação são possíveis, mesmo que alguns aspectos da sexualidade tenham mudado. Você também pode praticar ter orgasmos sozinha antes de voltar a ter sexo com um parceiro. Busque novos meios de chegar ao prazer, visite sex shops, use um vibrador durante o intercurso sexual, assista videos eróticos, escolha posições sexuais que te deixem mais confortável e abuse das fantasias.

 

Cirurgia das mamas e vida sexual

Em nossa cultura, seios são frequentemente vistos como uma parte importante de beleza e feminilidade. Se uma mama é removida, a mulher pode sentir-se menos segura sobre se o parceiro irá aceitá-la e ainda achá-la sensual e atraente. As mamas e os mamilos também são fontes de prazer sexual para muitas mulheres e seus parceiros, sendo assim, a cirurgia para o câncer de mama pode interferir com o prazer de acariciar a mama. Após uma mastectomia, toda a mama se foi e há uma perda de sensação, porém, algumas mulheres ainda gostam de ser acariciadas ao redor da área da cicatriz seca, mas outras não; e algumas já não gostam nem mesmo de ter a mama restante e mamilo tocados.

Após a mastectomia, a mama pode ser reconstruída para que ela se pareça muito com a outra mama. A reconstrução pode restaurar a forma e tamanho, mas não pode restaurar a sensibilidade. Em uma mama reconstruída, a sensação de prazer do toque pode ser diminuída ou mesmo ausente pois o nervo responsável pela sensibilidade atravessa o tecido mamário profundo, sendo seccionado durante a cirurgia e, como resultado, o mamilo preservado ou reconstruído tem sensibilidade menor. A pele da mama reconstruída pode ficar mais sensível com o tempo, mas geralmente não dá o mesmo tipo de prazer como antes da mastectomia.

A reconstrução mamária pode ajudar uma mulher a aproveitar melhor o sexo porque faz com que ela se sinta inteira e atraente. Mas, pode não restaurar completamente as sensações físicas de prazer que ela costumava ter antes. Porém, pesquisas recentes mostram que até um ano após a cirurgia, a maioria das mulheres diagnosticadas com câncer de mama em estágio inicial tem boa adaptação emocional e satisfação sexual.

Lembre-se que é preciso tempo para lidar com a perda de uma mama e com as mudanças em seu corpo e auto-imagem. Para algumas mulheres é mais fácil e para outras, mais difícil. Muitas mulheres encontram, bem nesse momento, uma força que nem sabiam que tinham. Procure aceitar-se como você é, respeite o seu tempo, e tenha em mente que o câncer de mama pode ser um novo começo.

sexo-1

2 Comentários

  1. Marta disse:

    Gostei bem elaborado essa matéria ☝👏👏👏

  2. Eryjane disse:

    Parabéns Karla assunto importante que precisa ser abordado. Muitas mulheres acham que por estarem vivas não precisam ter suas necessidades e vontades supridas. Que é normal não ter vida sexual após o câncer.