Aconselhamento da Presidência da American Heart Association: substitua a gordura animal pela gordura vegetal

A American Heart Association (AHA) emitiu um novo “Aconselhamento Presidencial” sobre gorduras dietéticas e doenças cardiovasculares para estabelecer registros sobre os danos das gorduras saturadas. A declaração, publicada on-line em 15 de junho no journal Circulation, continua a recomendar a substituição das gorduras saturadas por óleos vegetais poli e monoinsaturados, para ajudar a prevenir doenças cardíacas.

A declaração também recomenda que a mudança de gorduras saturadas para insaturadas ocorra simultaneamente a um padrão alimentar saudável (como a dieta mediterrânea por ex.). Mais além, aconselha que os carboidratos “bons”, como cereais integrais e frutas, sejam alimentos adequados para substituir as gorduras saturadas.

O autor, Frank Sacks, professor de prevenção de doenças cardiovasculares na Escola de Saúde Pública de Harvard disse em um comunicado da AHA que “os registros vieram de uma pesquisa científica bem conduzida que apoia esmagadoramente a limitação da gordura saturada na dieta”. A liderança da AHA decidiu que eles precisavam lançar um novo conselho sobre dieta – particularmente gorduras – após vários comentaristas sobre nutrição, terem sugerido que a gordura saturada era inócua, o que foi amplamente coberto pela mídia, mas esses comentários não eram cientificamente fundamentados.

A questão em pesquisa nutricional, disse ele, é que uma grande atenção foi dada a novos estudos que podem não ser cientificamente rigorosos, mas têm resultados controversos. “Tem havido uma tendência crescente de artigos na mídia com foco em pequenos estudos sugerindo que algumas gorduras saturadas são boas para você”, disse o Dr. Sacks. “Tem pessoas que defendem que comer manteiga e leite cheio de gordura é benéfico. E o óleo de coco é uma moda agora mesmo – mas na verdade é uma gordura saturada, que aumenta o seu LDL (lipoproteína de baixa densidade)”.

Este conselho baseia-se em uma revisão científica cuidadosa – foi organizado de forma muito sistemática, envolvendo especialistas de uma ampla gama de campos que olharam com muito cuidado para a literatura. Então, as recomendações foram cuidadosamente examinadas e questionadas através de vários níveis de revisão de pares e comitês consultivos científicos em toda a AHA.

O Dr. Sacks explicou: “Esta afirmação se concentra em gorduras – quais gorduras devemos comer – e resumimos com muita força que devemos comer menos gorduras saturadas, e estas podem ser substituídas por gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas”.

Estudos científicos que reduziram a ingestão de gorduras saturadas e substituíram por óleos vegetais poliinsaturados reduziram a doença cardiovascular em aproximadamente 30%. Além disso, vários estudos descobriram que o óleo de coco – que é predominantemente gordura saturada, mas amplamente promovido como saudável – elevou o colesterol LDL da mesma maneira que outras gorduras saturadas encontradas na manteiga, na carne e no óleo de palma.

safflower-cártamo; flaxseed-linhaça; sunflower- girassol; corn-milho; olive-oliva; soybean-soja; peanut-amendoim; cottonseed-algodão; lard-banha de porco; palm-palma; butterfat-manteiga; coconut-coco.

A mensagem da AHA é que as gorduras poliinsaturadas são as melhores gorduras para comer. São encontradas principalmente em óleos vegetais, como óleo de soja, óleo de amendoim e óleo de milho. As gorduras monoinsaturadas, encontradas no óleo de girassol, azeite, nozes e abacate, também estão bem – muito melhores do que gorduras saturadas, mas não tão saudáveis ​​quanto as gorduras poliinsaturadas.

Nos últimos anos, aumentou o conhecimento sobre os benefícios das gorduras poliinsaturadas, que estão associadas a uma redução na mortalidade total e nenhum aumento compensatório na morte por outras causas, além de serem associadas a uma redução na resistência à insulina. O mesmo é visto com gorduras monoinsaturadas, mas o efeito é menor.

 

Bons e Maus Carbos

A declaração também aborda a questão da substituição de carboidratos por gorduras saturadas e relata que a evidência de estudos observacionais prospectivos indica que os carboidratos integrais e frutas estão associados com redução de doença cardíaca quando substituem a gordura saturada.

Carboidratos bons x maus

“Não é bom comer menos gorduras saturadas se você for substituí-las por pão branco, açúcar e carboidratos processados”, elaborou o Dr. Sacks. “Mas houve estudos nos últimos anos que foram capazes de separar os carboidratos, e estes mostraram que, assim como as gorduras, existem bons carboidratos e carboidratos ruins. Se as pessoas substituírem gorduras saturadas por carboidratos bons, então haverá  uma redução na doença cardíaca coronária”.

Ele concluiu: “Não há nada particularmente revolucionário nesta declaração – a base das evidências sempre recomendou a redução de gorduras saturadas e o aumento de gorduras poliinsaturadas. Os estudos mais recentes reforçam essa visão. Mas aprendemos mais sobre carboidratos nos últimos anos”.

 

Recomendações robustas

Especialistas em nutrição saudaram o novo conselho, dizendo que achavam que continha recomendações robustas e bem a tempo.

“Tem havido preocupação sobre vários indivíduos não qualificados – especialistas autoproclamados que estão vendendo um novo livro ou coisa semelhante – promovendo a idéia de que a gordura saturada é boa para você, o que atraiu muita atenção da mídia”, disse David Jenkins, MD, do Departamento de Ciências Nutricionais e Medicina da Universidade de Toronto, Canadá, que não fazia parte do grupo de redação do aconselhamento. “Mas a AHA sempre tomou a posição de que a gordura saturada é ruim e que devemos comer mais óleos vegetais, e essa visão é endossada pela grande maioria dos nutricionistas cientificamente qualificados”, disse ele.

O professor Jenkins observou que o problema com a nutrição é que “nada é absoluto. Uma dieta ruim matará uma pessoa, mas não outra. Sempre há exemplos de pessoas que viviam até os 100 anos e comiam uma dieta rica em gorduras saturadas. Mas você também pode encontrar o mesmo com as pessoas que fumam muito, eles apenas têm bons genes. Mas quando todas as evidências são revisadas cuidadosamente como foi feito com esta recomendação, então você pode encontrar o que realmente está acontecendo”.

O documento, ele acrescenta, é “cheio de senso comum. Não é controverso. Tentou manter-se afastado do debate ‘carne versus vegetais’, o qual os levaria a problemas com os fazendeiros, mas ‘gordura saturada’ é o código científico para ‘gordura animal’. Esta afirmação está nos dizendo para comermos menos carne, apenas não estão usando essas palavras. Agora há um peso de evidência de que os alimentos vegetais – que são muito baixos em gorduras saturadas – são benéficos. Foi demonstrado mais uma vez que esses alimentos podem reduzir a doença cardíaca”.

David Katz, MD, diretor do Centro de Pesquisa de Prevenção da Universidade de Yale e fundador e presidente da “True Health Initiative”, descreveu o novo aviso da AHA como “um dos documentos mais importantes sobre o tema da gordura saturada e resultados de saúde”.

“O artigo é notável porque é metódico, abrangente e exigente. Todas as áreas de controvérsia alegada (pseudo-controvérsia de fato) em relação à gordura saturada e à saúde são abordadas”, disse ele. A evidência é vista de forma ampla e sistemática, e a conclusão é perfeitamente clara e inteiramente decisiva: a gordura saturada das fontes dietéticas usuais aumenta o risco de doença cardíaca e sua substituição por alimentos saudáveis ​​e gorduras insaturadas reduz esse risco”.

O Dr. Katz disse que o artigo é claramente responsivo aos muitos esforços equivocados para desacreditar as ligações bem fundamentadas entre gorduras saturadas da dieta e lipídios do sangue e entre lipídios do sangue e doenças cardiovasculares. As falsas declarações nessas áreas têm potencial real de custar vidas.

Por várias décadas, as gorduras saturadas têm sido alvo de “quanto menos, melhor” (por exemplo, <10% de calorias de gorduras saturadas), muitas vezes com poucos conselhos sobre o que deveria substituir essa fonte de calorias. Estudos recentes demonstraram claramente que a substituição de gorduras saturadas por carboidratos e açúcares refinados não faz nada para reduzir o risco de doença cardiovascular, enquanto a substituição por gorduras saudáveis ​​pode reduzir substancialmente o risco.

Com esta afirmação, a AHA reconhece a necessidade de especificar essas substituições importantes em saúde pública e de informar melhor seus clínicos e pacientes.

Fonte: 

Dietary Fats and Cardiovascular Disease: A Presidential Advisory From the American Heart Association

AHA Issues ‘Presidential Advisory’ on Harms of Saturated Fat

1 Comentário

  1. Henrique disse:

    Simplesmente fantastico esse Blog! Amo todoas as publicações que vocês colocam estou
    sempre acompanhando e compartilhando em minhas redes socias parabéns
    !!! http://braintuitions.com/index.php/component/k2/itemlist/user/1207233

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *